O Leste Europeu sempre me fascinou! Eu sempre tive o sonho de conhecer esse cantinho especial do planeta, principalmente Praga e Budapeste.

Quase todos os países do leste europeu passaram por guerras sangrentas e adotaram o regime econômico socialista em algum momento de suas histórias e por isso, sempre me pareceu um lugar totalmente diferente do que o que eu conheço de mundo. 

Eu precisava ver o Leste Europeu de perto, com meus próprios olhos!

Muitos mochileiros e viajantes fazem esse roteiro das 3 principais capitais do leste do velho continente juntas pois elas são bem pertinho uma da outra (cerca de 3 horas de carro) e estão conectadas por linhas de trem.

Eu escolhi ir de trem. Viajar de trem é umas das minhas paixões! Preciso confessar que tenho um medinho de avião, gente!

Agora vou mostrar para vocês o que eu mais curti em cada umas desses destinos.

Leste Europeu Praga

Praga – República Tcheca

Praga é um destino romântico e encantador, ideal para casais apaixonados ou em lua de mel. Mas é claro que turmas de amigos, viajantes solo e/ou famílias também encontrarão muitos atrativos na capital tcheca.

O que você não pode perder em Praga:

1. Relógio Astronômico (Orloj): principal símbolo de Praga e um dos pontos turísticos mais famosos da cidade, o relógio astronômico medieval foi construído em 1490. Ele fica localizado na Praça da Cidade Antiga (Old Town Square) e a cada uma hora uma multidão de turistas se junta em frente a ele para ver o seu espetáculo: um sino é tocado por uma caveirinha e os 12 apóstolos passam por uma janela no alto da torre do relógio “dançando” para os espectadores.

Durante a minha viagem a Praga, em Junho de 2017, a torre do relógio estava em processo de restauração e eu não pude subir nela. Mas normalmente é possível subir na torre e ver Praga do alto.

Relógio-Astronômico Praga

2. Castelo de Praga: na verdade não se trata de um castelo e sim de um complexo, maior do que 7 estádios de futebol, com palácios, igrejas, museus, jardins, cafés e restaurantes.

Desde a sua construção, o castelo sofreu 3 grandes incêndios e teve que ser reconstruído 4 vezes.

Há muitas coisas interessantes para ver no Castelo de Praga, como a Catedral de São Vito, o Palácio Lobkowicz e a Golden Lane.

Reserve pelo menos uma manhã inteira para visitá-lo e não perca a troca da guarda que, apesar de menos pomposa que a troca  da guarda do Palácio de Buckingham em Londres, tem lá o seu charme.

Castelo de Praga visto do alto da Torre Petřín. Foto: Nana Marques

3. Cerveja Tchecas Artesanais: os amantes de craft beer (cervejas artesanais) não sairão decepcionados de Praga! A Republica Tcheca é o berço da cerveja pilsner e Praga tem a reputação de ser a capital mundial da cerveja. A opção de bares e pubs é praticamente infinita e os moradores locais dizem que uma caneca de cerveja (500 ml) custa menos que uma garrafa de água.

Se você quiser provar cervejas tchecas de qualidade em um ambiente diferenciado e despretensioso visite o ROESEL beer&cake, em Malá Strana. Um pub/café meio escondido (você dificilmente irá encontrá-lo em algum guia sobre Praga) com um pátio/jardim de inverno muito agradável.

4. Ponte Carlos (Karlův most): Construída em 1357, essa ponte de pedra de 520 metros de comprimento já foi cenário para vários filmes e livros. Até 1741 ela era a única ligação entre a cidade velha (Old Town) e o Castelo de Praga.

Hoje, dependendo do horário e da época do ano (no verão Praga fica lotada!), pode ser praticamente impossível caminhar sobre essa ponte tão linda. Fique atento aos batedores de carteira e se quiser uma foto da ponte sem uma multidão de pessoas, acorde antes do sol nascer!

De cada lado da ponte encontram-se diversas estátuas de santos em estilo barroco. Ao todo são 30 figuras que conferem um charme ainda mais especial a esta ponte.

Ponte-Carlos-Praga

Viena – Áustria

Viena é uma cidade imponente! Ela foi capital do império Austro-hungaro entre 1867 e 1918 e pela suntuosidade de seus edifícios e palácios fica bem claro que Viena já foi a cidade mais importante do mundo.

Ao mesmo tempo, Viena é a cidade de acolhedoras cafeterias e de feiras de natal que encantam os visitantes todo inverno.

O que você não pode perder em Viena:

1. Belvedere: Viena é casa de alguns dos museus de arte mais importantes da Europa mas, se durante a sua visita à cidade você só tiver tempo para conhecer um único museu, vá ao Belvedere e veja de perto o beijo mais famoso do mundo, o quadro “The Kiss” do artista austríaco, Gustav Klimt.

O palácio, em estilo barroco, onde o museu está instalado, é uma atração a parte. Sua construção levou 25 anos, de 1700 a 1725 e sua beleza é comparada a do Palácio de Versalhes na França.

2. Haus der Musik: Se você é músico ou se música é um ítem importante na sua vida, não perca o Haus der Musik (Museu da Música).

Esse museu ocupa 4 andares de um prédio no centro de Viena e explica de modo bastante interativo, em um nível lúdico e ao mesmo tempo científico, o mundo dos sons, das músicas e das canções.

Desde a sua abertura em 2000, a Haus der Musik recebeu cerca de 3 milhões de visitantes.

3. Prater: Para os que buscam diversão, o Prater é imperdível! Ele é o parque de diversões mais antigo do mundo!  

Ele foi inaugurado em 1766. A entrada para o parque de diversões é gratuita, você só tem que pagar pelos brinquedo que quiser brincar. Os ingressos variam de €4.00 a € 10.00. Com o Vienna City Card você ganha cupons de descontos para alguns dos brinquedos.

O que eu achei mais legal nesse parque é ele tem uns brinquedos muito antigos, como labirinto de espelhos, chapéu mexicano e carrossel (quem frequentou o Playcenter em São Paulo, nos anos 1980 e 1990 vai lembrar!) e uns super modernos, como cinema 5D e uma montanha russa indoor totalmente no escuro com canhões de luzes coloridas hightech e música psicodélica.

Prater Viena

4. Biblioteca Nacional: Há quem que diga que a biblioteca da Trinity College em Dublin é uma das mais bonitas do mundo e eu acho que é mesmo, mas a Biblioteca Nacional de Viena é simplesmente deslumbrante!

Construída em estilo barroco, entre 1723 e 1726, essa biblioteca guarda uma surpreendente coleção de mapas, globos e cerca de 200 mil títulos literários.

Biblioteca-Nacional-de-Viena

Budapeste – Hungria

Budapeste, a rainha do Danúbio, é uma das cidades do leste europeu mais fascinantes por combinar uma beleza natural excepcional com uma arquitetura fascinante, por ser repleta de história e cultura e por possuir um clima super animado.

Até 1873, Budapeste era separada em 3 diferentes territórios: Buda do lado oeste do rio Danúbio, Pest do lado leste e plano, e Ôbuda que era a parte mais antiga de Buda.

O que você não pode perder em Budapeste:

1. Parlamento de Budapeste (Országház): Este é o maior edifício da Hungria, com 691 aposentos e construído sobre uma superfície de 18 mil metros quadrados. Ele é também um dos edifícios legislativos mais antigos da Europa. O prédio foi inaugurado em 1896, mas sua construção só foi concluída em 1904.

A arquitetura mistura diversos estilos: fachada neo-gótica e ornamentos barroco, e uma certa inspiração art nouveau, fazem esse edifício excepcionalmente lindo!

Visitantes podem fazer um tour guiado de 45 minutos de duração, em 8 diferente idiomas (não há tours em português). Durante o tour é possível visitar apenas meia dúzia de todos os aposentos do Parlamento. Eu decidi não pagar o ingresso caro (5800 HUF, cerca de R$70.00 por pessoa ) e não fazer esse tour. Fiquei admirando o prédio do lado de fora e tirando muitas fotos.

Se quiser visitar o Parlamento por dentro compre o ingresso pela internet com antecedência, pois os eles se esgotam muito rápido!

Parlamento-Budapeste

2. Termas: Se você quiser vivenciar a verdadeira experiência budapestense você precisar tomar um banho termal em umas das diversas termas da cidade.

Budapeste possui 118 fontes de água termal natural. São 70 milhões de litros de água termal térmica que brotam dessas fontes diariamente. Não é a toa que Budapeste é considerada um dos maiores centros de spa do mundo.

Durante a minha viagem a Budapeste visitei duas das mais famosas termas da cidade: Gellért e Szévhenyi (foto abaixo) mas existem várias outras espalhadas pela cidade para você conhecer. A temperatura da água varia de 28o C a 40o C. Depois de um longo dia andando pela cidade, não há nada melhor para relaxar e descansar o corpo!

Me digam nos comentários se vocês querem que eu fale mais detalhadamente sobre os banhos termais no post que vou escrever sobre Budapeste.

Szechenyi-therma-budapeste

3. Bastião dos Pescadores (Halászbástya): essa é um construção composta por 7 torres, representando as 7 tribos magyares que fundaram a HungriaAlém de ser um dos monumentos mais bonitos de Budapeste, o Bastião dos Pescadores oferece uma das vistas mais espectaculares da capital húngara.

Este monumento foi construído em estilo neo-gótico, em 1905, e seu nome é uma homenagem ao grupo de pescadores que era responsável por defender esse trecho do Castelo de Buda.

Bastião-dos-Pescadores-Budapeste

4. Palácio Real (Királyi Palota): Também conhecido como Castelo de Buda, o Palácio Real fica no topo da Colina do Castelo (Castle Hill), no lado de Buda da cidade. Esse palácio foi erguido e reconstruído pelo menos 6 vezes nos últimos 70 anos e hoje abriga o Museu de História de Budapeste, a Galeria Nacional da Hungria e a Biblioteca Nacional Széchényi.

O jeito mais legal e charmoso de chegar no palácio é pegando o Budávari Sikló, um funicular de 1870 que vai te deixar pertinho do portão de entrada do palácio.

Castelo-de-Buda

Nas próximas semanas vão ter outros posts aqui no blog sobre cada uma dessas cidades encantadoras, separadamente, com várias dicas legais de viagem. Fiquem de olho para não perder!

Todas as fotos deste post pertencem a Nana Marques (todos os direitos reservados). Copyright Nana Marques.

Deixe uma resposta