Já faz alguns dias que cheguei e vou tentar contar como foi a viagem até Dublin e os meus primeiros dias na cidade.

Os vôos

O vôo São Paulo-Madri foi tranquilo embora bastante cansativo. Quase 13 horas dentro do avião não é moleza! Não tenho medo de voar e normalmente consigo dormir, mas dessa vez foi diferente. Não havia posição confortável para tirar uma soneca e qualquer lado que eu tentasse me virar doía uma parte do corpo. Concluindo, não consegui pregar o olho!

Algumas pessoas com as quais conversei antes da viagem me disseram que o vôo da Iberia era bem ruim e, para falar a verdade, não vi nada de diferente de outras companhias aéreas com as quais já viajei.

A única variação que consegui notar é que os comissários da Iberia não são tão simpáticos e o avião não tem TVs individuais como os de outras empresas. A comida, por exemplo, é a mesma porcaria de sempre!

Dublin vista do alto

Depois das muitas horas sem dormir, pousei em Madri, pois o vôo até Dublin não é direto. Fiquei impressionada com o Aeroporto Barajas. Cooooisa liiiinda! Como eram seis e pouco da manhã, no horário de Madri, não tinha movimento algum por ali.

Logo de cara vi umas garotas dormindo no chão e pensei em fazer o mesmo. Brincadeira! Ainda não estou tão #descontraente assim!

Apesar do Barajas ser enorme, achei o portão do meu embarque com facilidade. Sentei e li um livro por umas duas horas, quando começaram a aparecer mulheres com lenços cobrindo os cabelos.

Rá! Estava muito fácil para ser verdade! No portão e no horário que minha passagem indicava, na verdade, sairia um avião para Tânger. Porcaria, eu só tinha mais 30 minutos para descobrir onde estava o avião para Dublin!

Aeroporto Barajás Madri

Me localizei e consegui entrar na aeronave. O trajeto de Madri-Dublin, foi mais tenso. O avião desta vez era pequeno, o tempo estava bastante nublado e o bicho tremia por cada nuvem que passava. Em alguns momentos pensei: “não é possível que em 1o horas não morri, vou morrer à duas horas de Dublin!”

A imigração

Levei um susto no controle de imigração. Entreguei as cartas da escola ao agente e ele, com cara de poucos amigos, lançou: “I’ve never heard about this college” (nunca ouvi falar dessa escola).

Eu sabia que ele ia encrencar. Pensei que seria deportada e comecei a suar frio! O homem colocou a carta contra a luz procurando alguma marca d’água no papel. Depois pesquisou no Google para ver se a escola existia e, não contente, ligou para lá.

Perguntou se estavam esperando uma aluna com meu nome e, graças a Deus, a pessoa que atendeu na escola explicou direitinho e o agente ficou mais calmo. Enfim, o Irish carrancudo me liberou e a partir desse momento nada mais me deteria.

Fiquei muito feliz por encontrar minha bagagem, depois de passar pela imigração. Ufa, as duas malas estavam lá. E eu achando que elas iriam se extraviar.

A gente não consegue controlar os pensamentos negativos diante do desconhecido mas tudo deu incrivelmente certo!

A casa

A casa que eu estou morando é antiga, mas bastante grande. Tem oito quartos, quatro banheiros mais cozinha e sala de estar.

Fica em uma região chamada Glasnevin, em Dublin 11. É um pouco longe do centro de Dublin, cerca de 45 minutos andando, mas fica em um bairro tranquilo, arborizado e cheio de crianças loirinhas andando de bicicleta pelas ruas.

casa típica irlandesa Dublin

Em Glasnevin ficam dois importantes pontos turísticos da cidade: o National Botanic Gardens e o Glasnevin Cemetery,  o maior cemitério da Irlanda, criado em 1832.

Agora, que é férias de verão na Europa, a casa está cheia de espanhóis (eles vêm para cá estudar inglês nas férias escolares). No dia que cheguei, quinta-feria, 22 de julho, eu dividi o quarto com uma espanhola ,Virgínia, mas ela foi embora na noite seguinte e por enquanto tenho o quarto só para mim. Espero que a próxima roommate  (companheira de quarto) não seja uma brasileira, para poder praticar o inglês.

O pessoal na residência é muito bacana!  Gostei particularmente da Maria e do Javier, ambos espanhóis, que falavam um inglês bem bom mas muito carregado no sotaque, e do Eder e da Priscilla, brasileiros que têm me ajudado a não ficar tão perdida por aqui.

Por enquanto é isso! No próximo post vou falar das minhas impressões sobre a escola. As aulas começam na próxima segunda-feira. Até lá!

Obs.: Ah, para quem ainda não sabe #descontraente é um neologismo que soma os adjetivos descontraído e atraente.

12 Comments

  1. Oi Ana,

    nossa, adorei o sei site!!!
    Estou indo para Dublin em 25/05 e tenho algumas duvidas, se puder me add no mns eu vou ficar muito feliz.

    Super beijo

    Polly

    pollyanediasf@hotmail.com

  2. Vivis Duarte

    Agoraaaaaaaaaaaa sim entendi tdinho!
    Depois de ter ignorado meu twitti! hahah
    Boa sorte flor… e aproveite cada coisinha nova…

  3. Legal, Ana.
    Escreva sempre. Estou pensando seriamente em tirar um ano sabático também e ir ano que vem. Virei sempre ver as novidades.

    Boa sorte 🙂

  4. ola ana paula!
    tud bom?

    estou indo para dublin em 2011… vc poderia me adicionar no msn?

    th_rzo@hotmail.com

  5. Oba Ana, logo de cara encontrou uma xará minha…rsrsr…
    queria eu estar no lugar dela!
    Estou adorando as postagens!
    Bjo

  6. Olá Durval, obrigada pela visita!

    Se vc vai fazer conexão em Madri, fique tranquilo que vc NÃO irá passar pela controle de imigração não.

    A única que vc terá que fazer é passar a bagagem de mão pelo raio-x e mostrar a passagem aérea, sem mais perguntas. A bagagem que você despachar em São Paulo irá direto para Dublin.

    Quando chegar conte-nos como foi a sua experiência.
    Boa sorte!

  7. Que estranho a imigração irlandesa encrencar, porque Irlanda não faz parte de UK, e imigração de UK é que tem a fama chata. Que bom que tudo deu certo! Boa sorte e aproveite as Irish Ales daí, gatam!

  8. Rá! Aprendi a ser neologista com o Cristiano!

    • Olá, parabéns pel Blog… estou indo para Irlanda dia 20 de setembro via Madri.. estou com uma duvida… vc teve q passar pela Imigraçao na espanha?

  9. Ah, vc é uma neologista agora

  10. Vivian Stychniki

    Nossa, quanta novidade em tão pouco tempo. Estou encantada! Aproveite o máximo, Ana Maria! E boa aula na segunda! 😛

Deixe uma resposta